AMAMENTAÇÃO DE UM LADO SÓ? OU DOS DOIS?

Muitas mães são orientadas a amamentar o bebê com apenas uma mama em cada mamada. Embora o número de pessoas que me enviam e-mails sobre problemas de amamentação varie de um dia para o outro, geralmente, todos os dias, 1 em cada 4 mães com problemas de amamentação está amamentando o bebê com apenas uma mama em cada mamada. Até mesmo alguns que estão suplementando com mamadeiras e fórmulas estão oferecendo ao bebê apenas uma mama em cada mamada e depois dando a mamadeira. Então, amamentar dos dois lados ou de um só?

Essa ideia é presumivelmente baseada na informação de que a quantidade de gordura no leite materno aumenta à medida que o bebê mama mais leite do seio, como este estudo International Breastfeeding Journal 2009; 4: 7-13, bem como vários outros, sugerem. Esse aumento de gordura à medida que mais leite é retirado da mama (bombeando) também é verdadeiro quando o bebê está no peito e mamando. Mas a ideia de amamentar o bebê com apenas uma mama a cada mamada para seguir uma “regra” resultou em muitas mães com problemas como a diminuição do suprimento de leite de início tardio.

Para enfatizar, essa ideia de que a concentração de gordura aumenta à medida que mais leite é retirado da mama depende do bebê mamar e não apenas sugar sem realmente obter leite. É um mito, e importante o suficiente para eu repetir várias vezes neste blog, que um bebê não está necessariamente recebendo leite simplesmente porque está no seio e sugando.

 

Vídeo 1: Este bebê está mamando muito bem no peito. A pausa no queixo enquanto o bebê abre a boca ao máximo diz “Estou com a boca cheia de leite”. Quanto mais longa a pausa, mais leite o bebê recebe.

 

Vídeo 2: Este bebê está agarrado e sugando, mas quase não recebe leite da mama. Não há pausa no queixo porque não há fluxo de leite.

 

Vídeo 3: este bebê está entre os outros dois bebês dos vídeos acima, obtendo um pouco de leite, mas talvez não o suficiente para ganhar peso bem. Com uma trava melhor e compressão manual da mama o bebê está mamando um pouco melhor, mas não bem. Seria melhor se a mãe logo mudasse de lado, antes que o bebê comece a dormir no peito. Por favor, note que os bebês não dormem no peito porque mamar é “exaustivo”. Essa ideia de que os bebês dormem no peito porque mamar é “difícil” ou porque queimam “muita energia” mamando não é verdade. Bebês dormem quando o fluxo de leite começa a diminuir, especialmente se tiverem apenas algumas semanas de idade. Essa ideia equivocada que mamar cansa o bebê vem da noção de que “bebês puxam o leite”. Não é assim: as mães que transferem o leite.

Em outras palavras, não é uma boa ideia amamentar o bebê apenas de um lado para seguir uma regra. Sim, certificar-se de que o bebê “termine” o primeiro lado antes de oferecer o segundo pode ajudar a tratar o ganho de peso insuficiente ou a agitação do bebê, mas as regras e a amamentação não combinam bem. Como a mãe sabe que o bebê “acabou” o primeiro lado? Porque o bebê não mama muito mais deste seio mesmo com a compressão manual da mama.

Se o bebê não está mamando, na verdade recebendo leite do peito, não adianta ficar com o bebê sugando por muito tempo ao seio sem realmente receber leite. É melhor “terminar” um lado e depois oferecer o outro. A abordagem de amamentar de um lado sem “ouvir” o bebê termina em diminuição da oferta de leite.

Muitas mães mantêm o bebê na primeira mama até que ele durma completamente. Assim, o bebê pode não aceitar o segundo lado, mesmo que seja oferecido. Vamos imaginar que o bebê mamou 80% do leite que precisava do primeiro lado. Se ele permanecer no peito até o sono profundo, ele pode não acordar para tomar o segundo lado por não estar com muita fome naquele momento. O segundo seio deve ser oferecido ao bebê quando ele não estiver mais mamando muito, mesmo com a compressão do seio, não quando estiver dormindo.

Além disso, os bebês tendem a receber menos leite no final da tarde e à noite do que pela manhã, então o que pode funcionar de manhã cedo (o bebê termina a mamada com apenas um peito) pode não funcionar no final da tarde ou à noite. Se o bebê chorar e ficar agitado à noite, a mãe que foi orientada a “amamentar em um só seio” pode continuar colocando o bebê de volta na mesma mama e finalmente conclui que precisa dar ao bebê uma mamadeira com fórmula. E surpresa, surpresa, o bebê fica satisfeito, não fica mais agitado no peito, não puxa mais o peito e dorme 3 horas ou mais. A mãe se convence que não produz leite suficiente. A mamadeira noturna, se administrada regularmente, também pode levar a uma diminuição do fluxo de leite e como o fornecimento de leite diminui progressivamente, o problema piora cada vez mais. Mesmo que a mãe coloque leite previamente ordenhado na mamadeira noturna, isso não evita o problema.

Por fim, o que pode funcionar quando o bebê tem um mês de idade, digamos, pode não funcionar quando ele tem 3 ou 4 meses. No entanto, se a mãe continuar a acreditar que um seio a cada mamada é o melhor, o suprimento de leite continuará diminuindo e outros sintomas de diminuição do suprimento de leite de início tardio podem ocorrer. Quais sintomas?

1. Diminuição do ganho de peso ou mesmo perda de peso. Por outro lado, vários bebês continuarão a ganhar peso razoavelmente bem. É assim, geralmente, quando a mãe começou com um suprimento de leite abundante e diminuiu após, mas ainda é muito bom. Mas o comportamento do bebê mostra que algo está errado. A verdadeira questão não é o ganho de peso ou se o bebê está recebendo leite suficiente, mas o comportamento do bebê no peito. Os 3 diagnósticos a seguir feitos com frequência, mas incorretos, são demonstrados no vídeo 4 a seguir.

“Cólica” e irritação com o bebê puxando o seio, largando o seio e voltando ao seio e puxando o seio novamente. Como neste vídeo. Bebês que choram muito geralmente o fazem porque estão com fome, não porque têm “cólicas”. E podem querer mais leite, mesmo que estejam ganhando peso bem.

“Refluxo” com o bebê puxando a mama, largando a mama e voltando ao seio e puxando a mama novamente. Como no vídeo. Acredito que “refluxo” seja muito raro em bebês amamentados exclusivamente.

“Alergia a alguma coisa do leite materno” com o bebê puxando o seio, soltando o seio e voltando ao seio e puxando novamente, agora incluindo sangue na evacuação. Como neste vídeo.

Vídeo 4: Este bebê tenta se agarrar, mas a pega não é muito boa. Ele suga, consegue pequenas quantidades de leite, mas puxa e puxa o seio. Ele tem “cólicas” e não gosta do peito. Mas apesar da crença quase universal de que “cólicas” fazem com que o bebê aja assim ou fazem com que o bebê fique agitado, as cólicas não causam nada disso. Este bebê está agindo assim devido ao início tardio da diminuição do suprimento de leite e amamentação unilateral.

2. O bebê começa a chupar os dedos a maior parte do tempo. Isso é importante porque pode ser o único outro sintoma associado à diminuição do fornecimento de leite de início tardio. Portanto, o bebê geralmente fica feliz, ganha peso razoavelmente bem e chupa o dedo a maior parte do dia. Isso é considerado normal por muitos. Não acredito que seja normal o bebê chupar os dedos a maior parte do tempo.

3. O bebê começa a acordar com frequência durante a noite, quando antes não acordava quase nunca ou nunca. Ou, surpreendentemente, talvez, ao contrário, agora durma longas horas durante a noite, chupando o dedo ou uma chupeta.

4. As chamadas “greves de mamada”, que não acredito mais serem um diagnóstico real. A “greve da mamada” se deve à sensação do bebê de que não tem muito leite na mama e, portanto, ele perde o interesse por ela e não pega. Curiosamente, os bebês que recusam o peito durante o dia costumam mamar melhor à noite, num horário em que a maioria das mães tem mais leite.

5. Mamilos doloridos de início tardio, com o bebê “mordendo” ou puxando a mama. Da mesma forma, quando o fluxo de leite diminui, os bebês tendem a escorregar no mamilo, causando dor para a mãe.

6. Candida / levedura / sapinho não explicam os sintomas acima, embora a mãe seja frequentemente orientada de que esse é o problema. Os bebês geralmente não se incomodam com o sapinho.

7. Diminuição do hábito intestinal. Isso pode ser normal, mas estou começando a repensar e acredito que se a amamentação estiver associada a qualquer um dos outros sintomas listados aqui, evacuações infrequentes não podem ser chamadas de “normais”.

8. O bebê começa a acordar mais à noite. Isso faz com que ele receba mais leite porque, como já foi mencionado, eles tendem a mamar melhor à noite e, como resultado, esse pode ser um dos motivos pelos quais o bebê continua ganhando peso, apesar de outros sintomas.

9. Por outro lado, o bebê pode começar a dormir durante a noite enquanto não dormia antes, novamente uma reação a uma diminuição da oferta de leite

10. O bebê está “desmamando sozinho”. Não acredito que um bebê com menos de 2 ou 3 anos de idade “desmame sozinho”. Se perdem o interesse em mamar é porque o suprimento de leite da mãe diminuiu.

Como saber se o bebê “acabou” o primeiro lado?

Porque o bebê não mama mais, mesmo com a compressão manual da mama. Isso não significa que a mãe deva tirar o bebê do peito assim que ele não esteja mamando nada por um ou dois minutos (a mãe pode ter outro reflexo de ejeção do leite ou de descida). Porém, se for óbvio que o bebê não está mamando, recomendamos que a mãe tire o bebê deste seio e ofereça o outro lado, antes que ele adormeça. Se o bebê puxar a mama e as compressões não ajudarem, a mãe deve tirar o bebê da mama e oferecer o outro lado. Se o bebê estiver acordado e não tiver mais fome, não pegará o segundo lado. Se o bebê quiser mais, pegará. Se o bebê ficar muito sonolento na primeira mama, no entanto, ele poderá não mamar no segundo lado. Como saber se o bebê está mamando ou não?

Se o bebê soltar a mama sozinho, significa que o bebê “terminou” aquele lado? Não necessariamente. Os bebês geralmente soltam o seio quando o fluxo do leite diminui temporariamente ou, às vezes, quando a mãe tem um reflexo de ejeção do leite e o bebê, surpreso com o fluxo rápido e repentino, desacelera. A mãe pode tentar novamente desse lado se ele quiser mais, mas se o bebê obviamente não estiver mamando, mesmo com a compressão, ela deve mudar de lado. Antes de ficar com muito sono, porque se o bebê estiver dormindo profundamente, ele não pegará o segundo lado, mesmo que o fizesse se estivesse mais acordado.

Need breastfeeding help? Make an appointment with the International Breastfeeding Centre.
Precisa de ajuda para amamentar? Marque uma consulta com o Centro Internacional de Amamentação.

Copyright for the English version: Jack Newman, MD, FRCPC, 2017, 2018, 2020

Copyright for the Portuguese version: Jack Newman, MD, FRCPC, 2020

Portuguese translation by Dra Maria Luisa Silva Quintino (Brazil)

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.