USANDO UM AUXILIAR DE LACTAÇÃO PARA COMPLEMENTAR

Complementando a amamentação com um auxiliar de lactação no peito

Muitas mães sentem, com razão ou não, que não produzem leite suficiente para seus bebês e acabam complementando a mamada com leite materno doado ou fórmula. A crença geralmente começa imediatamente após o nascimento, porque em muitos hospitais “regras” resultam em suplementação desnecessária que inicia uma bola de neve para mais e mais suplementação. Em muitos casos, se o bebê for suplementado com mamadeira, mais cedo ou mais tarde ele pode rejeitar a mama e mamar apenas na mamadeira. A forma de evitar o uso de mamadeira é usar o auxiliar de lactação no seio para complementar. A foto 1 abaixo mostra um bebê sendo suplementado na mama com um auxiliar de lactação. A foto foi feita para mostrar o recipiente que usamos para armazenar o suplemento. Com um cano longo (91 cm) como costumamos usar, o recipiente pode ser posicionado em uma mesa ao lado ou dentro da roupa da mãe.

How to supplement without using a bottleFoto 1. Auxiliar de lactação no peito, usado para suplementar um bebê quando ele não está mamando o suficiente da mama e outras abordagens não funcionaram. Amamentar não é só leite materno, é um relacionamento íntimo, físico e também emocional. Uma maneira de ajudar as mães a preservar a amamentação, mesmo quando o bebê não está mamando o suficiente, é usar um auxiliar de lactação (que é diferente e funciona melhor do que uma sonda) na mama para suplementar.

A mother supplementing a baby with a lactation aid at the breast.Foto 2: Com um tubo longo (91 cm), o local onde a mãe guarda a recipiente do suplemento pode variar para ficar mais conveniente.

Por que é melhor suplementar com um auxiliar de lactação no peito?

• bebês aprendem a mamar mamando: tão difícil entender?
• as mães aprendem a amamentar amamentando: também difícil de entender?
• o bebê continua a receber leite da mama mesmo durante a suplementação: é importante para ajudar a aumentar o suprimento de leite da mãe
• se o auxiliar de lactação for usado de maneira adequada, o bebê não rejeitará a mama. A rejeição da mama é mais possível se os suplementos forem dados fora da mama
• amamentar é muito mais do que leite. Amamentar é uma relação íntima, física e emocional entre duas pessoas que se amam muito.

Mas o auxiliar de lactação é difícil de usar

Isso não é verdade, ou melhor, digo, não deveria ser verdade, porque eu sei que muitas mulheres acham difícil mesmo. Voltarei a essa questão mais tarde neste artigo.

Por que tantas mulheres começam a dar mamadeira nos primeiros dias, até mesmo no dia do nascimento do bebê?

Na maioria dos casos, as mães não querem dar mamadeiras ou fórmulas mas estão sob pressão da equipe do hospital para fazê-lo. Por quê?

1. Existe a preocupação de que o bebê tenha baixo nível de açúcar no sangue. Com frequência, o açúcar no sangue é medido sem motivo e com mais frequência ainda a suplementação é iniciada porque muitos médicos / enfermeiros não entendem que é normal o açúcar no sangue do bebê diminuir imediatamente após o nascimento. Para os bebês com alto risco de hipoglicemia, existem outras opções além de fórmula.

2. Outra razão dada para a suplementação precoce é o bebê ter níveis de icterícia acima da média.

3. Outra razão, talvez a mais comum, é que o bebê perdeu 10% ou mais do peso ao nascer. Essa abordagem é inútil e leva à suplementação desnecessária, ao mesmo tempo que, muitas vezes, convence a mãe de que ela não produzirá leite suficiente, mesmo quando o leite “desce”.

4. Outro motivo comum é porque a mãe tem dor nos mamilos tão grave que ela não consegue colocar o bebê no peito. A resposta para mamilos doloridos é a prevenção e ajudar a mãe a obter a melhor pega possível. Se a mãe já tem dor, a abordagem é melhorar a pega do bebê. A dor mamilar quase sempre é devido a uma pega ruim do bebê. Existe uma maneira melhor de ajustar a pega do que a convencional. Uma pega melhor pode fazer uma grande diferença na prevenção e tratamento da dor mamilar da mãe. Ajudar o bebê a obter mais leite nos primeiros dias, com uma pega melhor, assim como a compressão manual das mamas pode diminuir o tempo de mamada e o fluxo mais rápido de leite melhora a pega do bebê. Acredito que, com base no que as mães nos contam, a mãe pode ter fortes dores desde a primeira mamada no seio porque o bebê também tem língua presa.

Então, como lidar com um bebê que não mama o suficiente da mama e com os mamilos doloridos da mãe?

1. Obtenha a melhor pega possível. Isso resolverá a grande maioria das razões para as quais os bebês recebem suplementos, mesmo após os primeiros dias e incluindo a dor mamilar da mãe.

2. Observe o bebê mamando no peito. A pausa no queixo do bebê é a melhor forma de saber se ele está recebendo leite e mamando bem. Quanto mais longa a pausa, mais leite ele recebe. Este bebê está mordiscando principalmente e, portanto, não está recebendo muito leite. Muitas mães são aconselhadas a amamentar o bebê com apenas um seio em cada mamada para que o bebê receba o “leite posterior” com alto teor de gordura mas isso não faz sentido, pois se o bebê não está mamando e não está recebendo leite, não importa “leite com alto teor de gordura”.

3. Uma vez que o bebê não esteja mamando bem, antes de ficar sonolento, a mãe deve usar a compressão manual das mamas para mantê-lo mamando. Os bebês tendem a adormecer na mama quando o fluxo do leite é lento, especialmente os menores de 2 meses de idade, e tendem a se afastar da mama quando mais velhos, embora muitos bebês o façam em momentos diferentes e alguns bebês muito pequenos se afastam enquanto alguns bebês mais velhos adormecem.

4. Se as compressões manuais da mama não funcionarem mais, a mãe deve mudar de lado e repetir os passos 1 a 3. O bebê não deve dormir profundamente na mama. Quando o fluxo do leite é lento, os bebês tendem a dormir na mama, não porque estão cansados, mas porque eles respondem ao fluxo do leite. Se o fluxo for lento, eles tendem a dormir. Bebês mais velhos tendem a se afastar da mama. Vamos, por exemplo, supor que o bebê recebeu 80% de seu leite no primeiro lado. Se ele dormiu no primeiro lado, pode estar “quase satisfeito” e não acordar para pegar o outro lado. Troque de lado antes do bebê dormir, quando mesmo as compressões não estão mais dando quantidades significativas de leite materno para o bebê.

5. Baseado em quão bem o bebê mama ou não, a suplementação pode ou não ser necessária. Alguns bebês mamam bem o suficiente para não ter problemas imediatos, mas não o suficiente para ganhar peso também. Nesses casos, vale a pena dar ao bebê algum tempo para amadurecer e começar a ganhar peso antes de aconselhar a suplementação.

6. Se após os pontos 1 a 5 ainda achar que o bebê deve ser suplementado, ela deve ser feita com um auxiliar de lactação junto ao seio. Veja o vídeo abaixo.

 


Sabemos que algumas mães têm problemas reais para usar o auxiliar de lactação no peito

Algumas mães têm dificuldade em usá-lo, seja a versão manufaturada (Sistema de Enfermagem Suplementar ou SNS) ou a nossa versão improvisada; entretanto, vejo que a versão improvisada funciona melhor do que o SNS na maior parte do tempo.

O auxiliar de lactação funciona muito bem e todo o processo leva menos tempo do que amamentar nos dois seios e dar mamadeira após. Mas para que o auxiliar de lactação funcione bem, o bebê deve ter uma boa pega e a sonda deve estar no lugar certo. Veja o vídeo acima. Preste atenção, no entanto, que um bebê com língua presa não tem uma boa pega, não importa se parece que sim.

Algumas mães têm dificuldade em colocar a sonda no lugar certo, principalmente quando já têm dificuldade de colocar o bebê numa boa pega, quando não tem ajuda para usar o auxiliar de lactação, ou ambos. A ajuda de outra pessoa, pelo menos nas primeiras vezes, pode fazer toda a diferença. Com o tempo, fica fácil, pois a mãe “pega o jeito”. Do que as mães reclamam em relação ao auxiliar da lactação além da dificuldade de fazer funcionar?

1. Demora muito. Esta é uma variação da mãe não ser capaz de fazer o sistema funcionar. A sonda está na boca do bebê e o bebê está na mama, mas a mãe diz que o bebê leva uma hora para mamar 30 ml do suplemento. Isso resulta em uma mamada muito longa e concordo que algo não está funcionando como deveria. A propósito, usar um tubo de 38 cm de comprimento, como costuma ser feito, em vez de 91 cm também torna toda a operação incômoda (que não deveria ser). Então, por que está demorando tanto?

A mãe tenta usar a sonda somente depois que o bebê “esvazia” completamente a mama. Embora eu possa entender suas razões para tentar espremer até a última gota da mama antes de inserir a sonda, o problema é que o bebê muitas vezes adormece profundamente e escorrega da mama se a mãe esperar muito tempo para inserir a sonda ou, no caso do SNS, abrir a válvula que deixa o suplemento fluir. Não é necessário tentar retirar até a última gota da mama antes de usar o auxiliar de lactação. Na verdade, eu recomendaria que a mãe o usasse preferencialmente antes, embora não desde o início da amamentação, exceto em situações excepcionais (por exemplo, o bebê pega bem apenas com a sonda colocada ou o bebê se afasta da mama logo após a pega). A mãe amamenta o bebê no primeiro peito até que ele diminui a mamada, mesmo com a compressão manual, e então o muda de lado.

Quando o bebê está mamando pouco no segundo lado, mesmo com a compressão, a mãe insere o tubo. Se o bebê puxar a mama, a mãe pode tentar colocar a pega com a sonda locada e, portanto, o bebê pega a mama e a sonda ao mesmo tempo. O bebê, se estiver com boa pega, continuará a receber leite da mama mesmo se for suplementado ao mesmo tempo. Um bebê que amamenta bem não precisa de auxílio para amamentar. Se o bebê que está recebendo o suplemento mamar bem por um curto período de tempo em ambos os lados, ele pode precisar de uma suplementação após tentar os vários métodos para obter mais leite, conforme listado acima. Toda a mamada não deve demorar mais do que 30 a 45 minutos, talvez uma hora, mas certamente não duas horas.

2. As mães frequentemente evitam usar o auxiliar de lactação no seio quando estão em público. Ninguém fica surpreso se um bebê recebe mamadeira enquanto os pais estão em um restaurante ou no shopping, digamos, e raramente perguntam a uma mãe por que ela está alimentando seu bebê com mamadeira. É normal, certo? Mas se uma mãe está usando um auxiliar de lactação, ela se preocupa em ser o foco das atenções e ser questionada do motivo daquilo e por que não está apenas dando uma mamadeira? Muitas mães que administram muito bem o auxiliar de lactação em casa se recusam a usá-lo em público. Acho essa uma maneira muito boa de educar as outras pessoas sobre a importância da amamentação e de manter o bebê ao seio. As mães podem dizer a qualquer pessoa que pergunte: “Eu preciso complementá-lo e dar mamadeira não é o que eu queria fazer, então suplemento desta maneira para manter a amamentação e prevenir a confusão de bicos.”

3. O auxiliar da lactação está impedindo o aumento do leite materno. Devo dizer que não consigo entender essa ideia. O bebê ainda está na mama e, portanto, o bebê ainda está mamando o leite da mãe, mesmo que em pequenas quantidades, mantendo o potencial de aumentar a produção de leite. O bebê pode mamar com menos frequência, é verdade, mas isso não é necessariamente ruim – pode ser porque ele está recebendo mais leite de uma vez agora. Essa ideia equivocada reflete o que sempre foi ensinado e dito em relação à amamentação de que “quanto mais o bebê sugar, mais leite terá”. Isso não é verdade. A verdadeira afirmação é que quanto mais leite o bebê mama da mama, mais leite haverá.

Avoiding nipple confusion.Foto 3. Essa mãe precisa suplementar seu bebê. Ela tem feito com um auxiliar de lactação no peito. Nesta foto, ela está em um restaurante. Se questionada por um estranho, ela poderia dizer “Quero continuar amamentando, mas não produzo leite suficiente. Este dispositivo me permite continuar amamentando porque dar mamadeiras pode fazer com que o bebê se recuse a mamar no seio após”.

Do you need help for breastfeeding? Make an appointment at the International Breastfeeding Centre.
Precisa de ajuda para amamentar? Marque uma consulta no Centro Internacional de Amamentação 

 

Copyright for the English version: Jack Newman, MD, FRCPC, 2017, 2018, 2020

Copyright for the Portuguese version: Jack Newman, MD, FRCPC, 2020

Portuguese translation by Dra Maria Luisa Silva Quintino (Brazil)

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.