INDUZINDO A LACTAÇÃO

Uma pessoa pode desejar induzir a lactação caso:
• Esteja adotando um bebê
• Tenha uma “barriga de aluguel” para seu bebê biológico
• Tenha um relacionamento com outra mulher que está grávida e deseja ajudar na amamentação do bebê
• Ou tenha alguma outra relação, geralmente transgênera, em que um ou ambos os parceiros desejam amamentar

Como alguém pode conseguir amamentar se nunca gestou?

Nossa tentativa é fazer com que o corpo da pessoa que está induzindo a lactação “acredite” que ela está grávida.

O meio hormonal do corpo durante a gravidez inclui:
• Altos níveis de estrogênio
• Altos níveis de progesterona
• Altos níveis de prolactina
• Altos níveis de hormônio gonadotrófico coriônico
• Altos níveis de outros hormônios

Esses hormônios aumentam com o início da gravidez e cada um tem um papel no preparo das mamas para a produção de leite e, assim, a produção inicia a partir de 16 semanas de gestação.

Se a pessoa já amamentou anteriormente, aumenta a possibilidade dela produzir novamente leite suficiente, mas não obrigatoriamente. Algumas pessoas que induziram a lactação conseguiram produzir toda a demanda de leite pro bebê, mas penso que a maioria não atinge esses níveis.

E se eu não conseguir produzir a quantidade de leite que um bebê precisa?

Seria bom se conseguisse, claro, mas lembre-se de que amamentar não é apenas leite: é muito mais do que leite materno. Amamentar é um relacionamento, íntimo, físico e emocional entre duas pessoas que se amam. Além disso, a amamentação ajuda a aumentar esse vínculo já existente.

Se você não conseguir produzir toda a quantidade de leite que o bebê precisa, você pode (e é recomendado) suplementar o bebê no peito com um auxiliar de lactação junto ao seio, conforme mostrado no vídeo.

 

VIDEO 1 A complementação de leite pode ser feita com leite materno doado ou fórmula. Não devemos pagar pelo leite doado. Muitas mães relatam que receberam leite materno adulterado (geralmente com fórmula ou leite de vaca acrescidos). Obtenha informações sobre como obter doações seguras neste site.

Os medicamentos e o processo

Usualmente iniciamos para quem está induzindo a lactação uma pílula anticoncepcional combinada (que fornece estrogênio e progesterona), bem como domperidona, que aumenta os níveis de prolactina.

Em teoria, a pílula anticoncepcional combinada deveria conter níveis mais altos de progesterona, mas isso é somente na teoria. A combinação hormonal usada na pílula anticoncepcional não faz diferença. Se alguns comprimidos da cartela contêm placebo (“pílulas de açúcar” ou pílulas sem efeito), a pessoa induzindo a lactação não deve tomá-los e deve iniciar a próxima cartela sem intervalo.

A pessoa induzindo a lactação deve tomar a pílula por pelo menos 16 semanas, continuar até cerca de 6 a 8 semanas antes do nascimento do bebê e então interromper completamente. Isso implica num tratamento total de 22 a 24 semanas.

A domperidona aumenta os níveis de prolactina na pessoa induzindo lactação e a recomendação é de continuar a domperidona pelo menos até o nascimento do bebê ou após. Na verdade, provavelmente a domperidona precise ser continuada durante todo o período de amamentação. E a dose de domperidona? Começamos com uma dose de 30 mg (3 comprimidos) 3 vezes ao dia e podemos aumentar em duas etapas, primeiro para 40 mg (4 comprimidos) 3 vezes ao dia e depois 40 mg (4 comprimidos) 4 vezes ao dia ou 50 mg (5 comprimidos) 3 vezes ao dia (por conveniência de tomadas). A principal razão para não iniciar com a dose mais alta é prevenir efeitos colaterais que são mais raros com 9 comprimidos (90 mg/dia) do que com 15 comprimidos (150 mg/dia).

Os efeitos colaterais da domperidona incluem aumento de peso, cefaleia (geralmente leve e transitória, durando não mais do que alguns dias) e boca seca. A ideia de que a domperidona é perigosa se você tiver doenças cardíacas é um absurdo e se deve à desinformação da fábrica de fórmulas infantis. A única situação em que a domperidona pode causar problemas é se você tiver o intervalo QT prolongado em um eletrocardiograma – e um eletrocardiograma pode ser feito facilmente para descartar isso. Se você tem sopro, se fez cirurgia cardíaca, se tem pressão alta ou se tem qualquer outro achado no eletrocardiograma não é motivo para evitar a domperidona. Nossa experiência com dezenas de milhares de pacientes mostra que é um medicamento muito seguro.

Algumas mulheres podem ter irregularidades menstruais com a domperidona, mas se estiverem tomando a pílula anticoncepcional com níveis elevados de estrogênio e progesterona, não deve ocorrer. Se acontecer, a paciente deve consultar o médico para se certificar de que não há outra fonte de sangramento.

Quando a pessoa induzindo a lactação pára de tomar a pílula, se essa pessoa for uma mulher, ela pode ter um sangramento vaginal intenso, mas que não deve durar mais do que alguns dias.

Assim que a pílula anticoncepcional for suspensa, a pessoa que está induzindo a lactação deve começar a expressar os seios para estimular a produção de leite. Observe que os homens podem produzir leite, de modo que a abordagem é a mesma para os homens. Extrair ou bombear o leite deveria, em teoria, ser o mesmo que se o bebê estivesse ao seio, mas na verdade os bebês variam sua frequência de amamentação e as pessoas que induzem a lactação geralmente trabalham fora de casa e não têm oportunidades de extrair leite durante o trabalho.

E se eu não tiver 22 a 24 semanas antes do nascimento do bebê?

Minha preferência é não usar a pílula anticoncepcional e tomar apenas a domperidona. O grande problema é que a pílula inibirá a produção de leite, portanto, recomendar a continuação da pílula até o nascimento do bebê ou mais não é bom. Então, 14 semanas de pílula anticoncepcional mais domperidona está OK? Possivelmente, mas está acelerando o processo.

Uma exceção ocorre quando uma das parceiras está grávida e planeja amamentar e a parceira não grávida também está induzindo a lactação. Nesse caso, a parceira não grávida pode permanecer tomando a pílula anticoncepcional mesmo após o nascimento do bebê para aumentar o tempo de seu corpo “pensar que está grávida”.

Quando eu começo a colocar o bebê no peito?

O mais rápido possível após o nascimento do bebê. Em muitas jurisdições, a pessoa que induz a lactação pode amamentar o bebê imediatamente ao nascimento ainda na sala de parto. Em outras jurisdições, isso não é possível, mas a pessoa que induz a lactação deve informar à equipe do hospital com antecedência que será a mãe também deste bebê e que devem evitar alimentá-lo com mamadeira. Um recém-nascido pode ser alimentado com colher ou copo aberto sem dificuldade.

A mãe biológica deve alimentar o bebê no seio?

Certamente há vantagens em fazê-lo, tanto para ela quanto para o bebê. O bebê terá a oportunidade de receber leite materno (colostro) exclusivamente por alguns dias. Também ajuda a mãe biológica a prevenir o ingurgitamento mamário. Algumas ficam felizes em fazer, outras não. Em teoria, a mãe biológica pode criar um vínculo com o bebê se ela o amamentar. Essa situação ainda não ocorreu entre os casais que frequentam nossa clínica para induzir a lactação.

Você e seu médico de família

É importante que seu médico de família saiba que você está tomando esses medicamentos para o caso de surgirem efeitos colaterais. É importante que ele saiba que você está induzindo a lactação para o caso de surgirem efeitos colaterais de qualquer espécie que possam estar relacionados à indução da lactação.

Um último ponto

Algumas pessoas não usaram nenhum desses medicamentos e simplesmente colocaram o bebê no peito. Alguns produziram leite, até mesmo todo o suprimento necessário, mas essa é uma situação rara. Mesmo assim, se o problema é a amamentação e não o leite materno, essa é uma opção.

Need help with breastfeeding? Make an appointment at the Toronto International Breastfeeding Centre.
Precisa de ajuda com a amamentação? Marque uma consulta no Toronto International Breastfeeding Centre.

 

Copyright for the English original: Jack Newman, MD, FRCPC, Andrea Polokova, 2017, 2018, 2020

Copyright for the Portuguese translation: Jack Newman, MD, FRCPC, 2020

Translation to the Portuguese: Maria Luisa Silva Quintino (Brazil)

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.